Notícias

17/07/2015 - Conheça a melhor rodovia do Brasil, com asfalto ecológico e altos pedágios
De uma sala escura, às margens de um dos sistemas rodoviários mais movimentados do país, 22 pessoas monitoram o tráfego de 456 mil veículos que passam diariamente por seus pedágios. Diante de uma tela gigante de alta definição, eles identificam "rabos de fila" dando início a congestionamentos, acidentes que acabaram de acontecer, e podem até visualizar se um motorista, parado no acostamento, está passando mal ou precisa de ajuda para trocar um pneu.

"Com esse monitoramento, ganhamos agilidade para acionar recursos, como viaturas e ambulâncias, ou para simplesmente avisar o usuário sobre um congestionamento e e pedir para ele reduzir a velocidade", diz Neucelia Messias, supervisora do Centro de Operações da AutoBan, concessionária que administra as rodovias Bandeirantes e Anhanguera. Ambas ligam a capital paulista ao interior do Estado e estão no ranking das rodovias mais bem avaliadas da Confederação Nacional do Transporte (CNT) -a Bandeirantes ocupa a primeira posição, seguida pela Anhanguera.

Há 98 câmeras espalhadas pelo sistema, com capacidade de aproximação (zoom) de três quilômetros, possibilitando a cobertura de 95% da extensão das rodovias.
Também adotado por outras concessionárias, o monitoramento do tráfego por câmeras 24 horas é uma das ferramentas utilizadas pela AutoBan para conquistar a satisfação do usuário -apesar do alto valor dos pedágios.. Desde 1998, quando foi assinado o contrato de concessão, até hoje, a empresa investiu R$ 6,1 bilhões no sistema, quase a totalidade do valor com o qual se comprometeu (R$ 6,2 bilhões).

A concessão termina em 2026. O contrato previa a remodelação de trechos, construção de marginais e de faixas adicionais, além do prolongamento da Bandeirantes de Campinas (SP) a Cordeirópolis (SP), um trecho de cerca de 89 quilômetros. A concessionária também tinha a obrigação de recuperar 100% do pavimento -ela já está na quarta operação. A vida útil do asfalto deveria ser de oito anos, mas, devido ao excesso de carga dos caminhões, é necessária uma recuperação a cada quatro anos.

SEM BARULHO
Algumas obras foram além do que estava previsto em contrato. De São Paulo a Campinas, por exemplo, a AutoBan colocou asfalto ecológico. Feito com restos de pneus, ele é responsável pela viagem mais silenciosa na via. Com maior aderência do veículo à pista, há redução nos ruídos durante o tráfego. O material também é mais resistente, mas isso tem um custo: ele é cerca de 20% mais caro que o tradicional. É chamado de ecológico porque, com o uso desse asfalto em no sistema, cerca de 3 mil toneladas de pneus (500 mil unidades) foram reaproveitados.

"Garantir conforto, segurança e fluidez estão em contrato. Mas acreditamos que outras ações que tomamos contribuem para a satisfação do usuário", diz Maurício Vasconcellos, diretor-presidente da AutoBan. A empresa também investe na capacitação dos profissionais de resgate e desenvolve programas sociais nas áreas de educação, meio ambiente e segurança viária, entre outros. Mas um deles, voltado principalmente a caminhoneiros, chama a atenção.
No quilômetro 56 da Bandeirantes, um centro médico oferece consultas, exames, tratamento odontológico e serviços de podologia, entre outros. Tudo gratuito. Neste primeiro semestre, o número de atendimentos ultrapassou 8.500.
Moreflex Borrachas
Rod. RS 240, Km 06 - Cx. Postal 30 - Portão/RS - Brasil
Tel. (51) 3562-9500
     
Desenvolvimento INET Solutions - © Todos os direitos reservados - Moreflex Ltda - 2010